terça-feira, 4 de abril de 2017

leve ao amor


Leve, um riso feliz
Me leve pro vale do sol
Penso em ver cachoeira cair,
Tomar conta de mim
Dentro da noite, brisa vai chegar
E em nossas mentes
luzes latentes, uma canção...
Leve, com meu violão
Me leve, mais vale o amor
Nesse seu mundo eu posso dormir
Dispenso até o espelho
Deixo as cores da rua iluminar
E em teus abraços
Lua e laços, uma canção...
Hoje é cinema,
amanhã na estrada,
e depois talvez cuidar dos jardins
Sorrir, rever uns amigos, voltar para casa
e seguir nossa vida
a dois
Leve...
Leve...
Leve...


Deibe Viana

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

pra longe


Tanto clichê pra parecer daqui
Tanto pra ser ficou pra trás, sem lugar...
Mentalizar as ondas
Vou até onde vivo pra mim
Fico por crer de vez um pouco mais, ou talvez...
É tudo um só destino
Mas busco os sentidos num mundo arranhado
Um homem sonhado, por todo lado
Busco o afago de instantes
Repentino o sonho me fez de amor
Não há mais motivos pra desiludir.
Deixo meu olhar ir pra longe.
Todas aquelas verdades no espelho
de absolutas agora nem sei
Tão sem cor, prefiro o céu vermelho
Eu sinto o vento do praia
e o mar que clareia do sol.


Deibe Viana

sábado, 13 de agosto de 2016

chama eterna



Veja meu sorriso, simples, verdadeiro, como o seu.

Eu sinto a nossa pele morena com o vento nesse momento único. E aí, um retrato nosso. A gente no meio da vida a curtir, ao som das ondas do tempo. Um afago nosso. Pra dentro da cabeça, a paz numa ilha de sentimentos bons. O nosso companheirismo estampado à beira do mar. O encanto brilhando na praia do amor de pai e filha. E o encanto brilha.

Gravidade zero nas lembranças.

É muito olhar sonhador, é muito sorriso singelo. Eu e meu pai. Olhe pra frente que eu estou me segurando no senhor. Areia fria do tempo, tudo ameno feito à felicidade.
Felizes pegamos uma praia. Juntos assim como a maré.

A velhice pode ser sentida em qualquer um, e por qualquer um que não vivenciar o dom da vida. O senhor cumpriu seu papel, e viveu vivo. Retribuiu ao presente divino. Plantou e cultivou em sua jornada.

Pra todos permeiam os tantos ensinamentos eternos de nossos pais. Chama eterna.


Deibe Viana

quinta-feira, 7 de julho de 2016

florescer


Encantado, fixei meu olhar
pois teus olhos penetravam em mim
e na sinergia de palavras acanhadas, que li
um sorriso preso n'alegria a florescer eu senti

Não sabes de mim o quanto não sei de ti
Não peço carinho, mesmo sozinho no espaço
mas deixo-te certo que já foi como um abraço
teu sorriso aberto. Juro, já não sei o que faço.


Deibe Viana

segunda-feira, 23 de março de 2015

desconhecido encanto


Assim como a chuva teu cheiro
Atento ao acaso invadiu o tempo 
Chegou em meu redor um tanto desprevenido
E estava lançado o veneno certeiro
Agora há um pouco de mim sem abrigo

Não sei, mas parece estar a seduzir o espaço
...Inesperada mesmo é a vida pro coração, então...
Avancei ao desejo
e sem uma dose de ensejo dei o primeiro passo
Agora encosto minhas queixas no colo dessa intenção

Mas o que tanto é verdade em você?
Aquele cheiro? O veneno? O riso?
Tudo é um desconhecido encanto
Um misterioso e descolorido paraíso
Que o vento do destino ainda vai me dizer.


Deibe Viana

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

meu pensamento



Meu pensamento se fez carne
mas vida assim é infinito
Depois de um simples beijo
Você e os seus medos
e eu e os meus desejos
São meros atraídos a se entregar

Nem tua pele se arrependeria da minha  
Nem teu olhar é comprometido pro meu

Aí o pensamento se faz arte
e vida agora é encanto
Você acontece do pecado
Do incerto amanhã a se pôr
do sonho calado 
mas com o gosto do raro
do intenso, do cheiro, do amor

Por fim sou pensamento no tempo
Enquanto respiro teu rosto
Tudo que não posso tocar
E aquilo que tenho pra dizer
Você é encanto e infinito
perfeito e viciante sabor de um sofrer



Deibe Viana

sábado, 14 de dezembro de 2013

mas é porque a vida...


mas é porque a vida
que foi, e foi
acontecendo
e eu ali, aqui
ia vendo
o que ia a passar
no canto, no alento
assim foi
que fui e ainda
a estar, no entanto
foi arte a dor que seguia
um lugar
despertando a cria
do vento calado
um voo raso no ar
me desentalando o tempo
mas deixa o tempo
vou inalando sonho
à vida que é esse lugar



Deibe Viana

Arthur Schopenhauer

"A arte é uma flor nascida no caminho da nossa vida, e se desenvolve para suaviza-la"